Home / Comunismo / 21 de fevereiro de 1945 | Uma INTERVENÇÃO que deu certo

21 de fevereiro de 1945 | Uma INTERVENÇÃO que deu certo

Já se passaram 73 anos. Numa tarde cinzenta e fria, os pracinhas brasileiros, acostumados com o sol dos trópicos, finalmente conseguiram em meio às tempestades de neve tomar a fortaleza alemã do Monte Castello.

Foi a mais significativa batalha travada pela FEB – Força Expedicionária Brasileira.
No centro da Itália, ao longo dos Apeninos, os alemães estabeleceram uma linha de fortificações nos cumes das montanhas, designada como Linha Gótica. Era preciso rompê-la, para que os Aliados pudessem avançar para o Norte, chegando a Austria e Alemanha.

O inimigo tinha a vantagem da altura, situação clássica descrita nos manuais militares. Mas os pracinhas não leram os manuais, e persistiram até a vitória final na quinta tentativa. O generoso sangue brasileiro tingiu as encostas do Monte Castello, a um preço altissimo: mais de 100 vidas preciosas.

Mais que um feito militar, foi uma vitória da cidadania brasileira, de uma tropa composta quase que totalmente por soldados-cidadãos, convocados após a cruel agressão alemã de 1942. Utilizando a arma submarina, os nazistas afundaram mais de 30 navios brasileiros, com a perda de 1 milhar de vidas. Incorporando-se às Nações Aliadas, o Brasil foi o único pais latino-americano a participar da 2ª. Guerra Mundial, enviando para o Teatro de Operações mais de 25 mil homens, 70 enfermeiras, e um Grupo de Aviação de Caça, com a Marinha atuando na defesa do litoral.

A memória de heroismo da FEB na Itália é uma das glórias da Cidadania Brasileira.O capital simbólico da luta dos pracinhas pela liberdade e democracia mostra-se cada vez mais atual, haja vista as ideologias equivocadas que ainda subsistem. Mudaram apenas as bandeiras de ódio do passado, pois o mesmo terror se manifesta em nossos dias, em todos os continentes.

A luta dos pracinhas no Monte Castello se renova, com o Mundo civilizado enfrentando agora o neo-nazismo, a intolerância, o racismo, os negacionistas.
Ao recordar a conquista do Monte Castello, prestamos singela homenagem aos Pracinhas da FEB, e a todos que ajudaram a liquidar o nazismo, deixando suas vidas em uma terra distante, aos mártires civis inocentes sacrificados na Europa ocupada, aos partisans que pereceram em terras geladas e nas prisões da Gestapo, aos que desapareceram nos mares sem jamais ter um tumulo.
BRASIL ACIMA DE TUDO !
Israel Blajberg (*)

Tropas brasileiras em Torre di Nerone, perto de Monte Castello.

O Comando Militar do Sul (CMS) realizará, nesta quarta-feira (21/02), às 10h30, a cerimônia alusiva ao 73º aniversário da Tomada de Monte Castelo, no 3º Batalhão de Polícia do Exército – Batalhão Brigadeiro Jerônimo Coelho (Rua Correa Lima, 550 – Santa Teresa).

O evento reunirá representações das Organizações Militares de Porto Alegre. O dia 21 de fevereiro marca a conquista de Monte Castelo, na Segunda Guerra Mundial, em 1945.

A FEB desembarcou em Nápoles no dia 16 de julho de 1944 e combateu por 239 dias. Foram muitas as vitórias: Camaiore, Monte Prano, Monte Castelo, Montese e Fornovo, finalizando a atuação destacada com a rendição da 148ª Divisão de Infantaria Alemã.

 
Prisioneiros da 148º Divisão de Infantaria alemã, sob controle da FEB (Gli eroi Venuti dal Brasile)
O General Otto Freter, comandante da 148ª divisão alemã, apresentando a rendição de sua tropa ao General brasileiro Zenóbio da Costa (Arquivo do Exército Brasileiro).

Canção do Expedicionário

Você sabe de onde eu venho?
Venho do morro, do Engenho,
Das selvas, dos cafezais,
Da boa terra do coco,
Da choupana onde um é pouco,
Dois é bom, três é demais,
Venho das praias sedosas,
Das montanhas alterosas,
Dos pampas, do seringal,
Das margens crespas dos rios,
Dos verdes mares bravios
Da minha terra natal.

Por mais terras que eu percorra,
Não permita Deus que eu morra
Sem que volte para lá;
Sem que leve por divisa
Esse “V” que simboliza
A vitória que virá:
Nossa vitória final,
Que é a mira do meu fuzil,
A ração do meu bornal,
A água do meu cantil,
As asas do meu ideal,
A glória do meu Brasil.

Eu venho da minha terra,
Da casa branca da serra
E do luar do meu sertão;
Venho da minha Maria,
Cujo nome principia
Na palma da minha mão,
Braços mornos de Moema,
Lábios de mel de Iracema,
Estendidos para mim.
Oh, minha terra querida,
Da Senhora Aparecida
E do Senhor do Bonfim!

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

*

x

Apoie este projeto em favor do FIM DO COMUNISMO no Brasil

A RedeBrasil.NET está há 3 anos, 24hs, no AR contra o comunismo, Foro de São Paulo, URSAL e o projeto de implantação do socialismo no Brasil. Apoie e incentive este projeto contribuindo com nossa webrádio e canal do Youtube (RedeBrasil.NET) através do PayPal ou pelo meios disponíveis no site. Agradecemos por seu apoio.